Cruzeiro 89 anos

02/01/2010

Há exatos 89 anos, em 2 de janeiro de 1921, uma reunião num prédio na Rua dos Caetés, no centro de Belo Horizonte, com cerca de cem desportistas de origem italiana fundava a Societá Sportiva Palestra Itália. Era o início daquele que se tornaria um dos nove principais clubes de futebol do Brasil, reconhecido internacionalmente, o Cruzeiro Esporte Clube. A ideia havia surgido em 1916, quando foi formado um combinado de jogadores de origem italiana em Belo Horizonte para a disputa de amistosos. Muitos dos jogadores eram vinculados ao Yale Athletic Club, o primeiro clube com jogadores ítalo-brasileiros na capital mineira. Daí a confusão ao dizer que o Yale deu origem ao Palestra. 13 jogadores saídos do Yale formaram o primeiro plantel do Palestra em 1921, que também contou com jogadores vindos do Atlético, Guarany e Ipanema. Os jogadores do Palestra eram em sua maioria também operários, moradores das regiões externas à Avenida do Contorno, na época o subúrbio da cidade. O primeiro estatuto do clube foi solicitado por correio ao Palestra de São Paulo, atual Palmeiras, e aprovado por unanimidade, excluindo-se apenas o item que exigia participação exclusiva do pessoas com origem italiana, o que fez o Palestra mineiro aumentar sua popularidade rapidamente.

A primeira partida do clube aconteceu em 3 de abril de 1921, contra um combinado entre o Villa Nova e o Palmeiras, ambos de Nova Lima. A partida no estádio do Prado Mineiro (atual sede do Batalhão da Polícia Militar de MG, no bairro Prado) terminou 2 a 0 para os palestrinos. Duas semanas depois, em 17 de abril, o primeiro clássico contra o Atlético. Nova vitória do Palestra, dessa vez por 3 a 0, também no estádio do Prado. O primeiro título veio em 1927, mas era referente ao Campeonato da Cidade de 1926, após a vitória de 10 a 1 sobre o Grêmio, de Belo Horizonte.

Em agosto de 1942 um decreto federal exigiu a extinção de todos aqueles itens que faziam referência aos países inimigos do Brasil na Segunda Guerra Mundial, entre eles a Itália. Dessa forma, em 2 de outubro, foi anunciado que o Palestra mineiro passaria a se chamar Ypiranga, em homenagem à independência do Brasil. Em 4 de outubro o clube disputou uma partida contra o Atlético, perdendo por 2 a 1, mas com o nome oficial ainda Palestra Itália. Na assembleia do dia 7 de outubro, foi sugerido o nome de Cruzeiro Esporte Clube e a adoção das cores azul e branco.

O Cruzeiro crescia rapidamente e aos poucos deixava de ser a terceira força do futebol mineiro para se tornar a primeira. A década de 1960 foi um marco na história do Cruzeiro e representou uma época de grandes feitos e conquistas de um time, que recebeu o nome de academia. A equipe de  Raul, Zé Carlos, Piazza, Natal, Tostão entre outros, conquistou o Brasil com duas vitórias sobre o Santos. Na decisão, duas vitórias memoráveis sobre o time de Pelé – 6 x 2, em 30 de novembro, no Mineirão, e 3 x 2, no dia 7 de dezembro, no Pacaembu.

Já na década de 1970, a segunda academia do Cruzeiro ficou marcada pelo título da Copa Libertadores. O adversário da final foi o River Plate, da Argentina. No primeiro confronto, em 21 de julho, o Cruzeiro aplicou 4 x 1, em Belo Horizonte. No segundo, no dia 28 do mesmo mês, perdeu de 2 x 1, em Buenos Aires. Mas dois dias depois, no tira-teima decisivo, em Santiago, no Chile, a equipe estrelada ganhou por 3 x 2 e levantou o troféu da competição.

Após um período difícil na década de 1980, sem grandes conquistas, a torcida azul voltou a sorrir em 1991, quando time celeste venceu a Supercopa, novamente levando a melhor sobre o River Plate. No ano seguinte, o torneio ficou mais uma vez nas mãos cruzeirenses, batendo outro clube argentino, o Racing.

Em 1997, veio o bicampeonato da Copa Libertadores. Na partida de ida da decisão, houve empate sem gols com o Spoting Cristal, do Peru, em 6 de agosto. Dali sete dias, no Mineirão, o Cruzeiro bateu o adversário por 1 x 0, dando início a mais uma belíssima festa da china azul.

O time estrelado tornou-se o maior vencedor da Copa do Brasil. Ao lado do Grêmio, detêm quatro conquistas da competição, vencendo as edições de 1993, 1996, 2000 e 2003. Neste último ano, inclusive, a equipe mineira conseguiu ainda os campeonatos Mineiro e Brasileiro, ganhando a denominação de campeão da Tríplice Coroa.

Para 2010, o Cruzeiro buscará o tricampeonato da Copa Santander Libertadores, um feito que quase conseguiu no ano passado. Para isso, o Clube aposta na manutenção da base e no terceiro ano seguido do técnico Adilson Batista à frente do bicampeão Mineiro.

Cruzeiro

Fontes: site oficial do Cruzeiro e Almanaque do Cruzeiro

Anúncios

América Mineiro conquista a Série C

21/09/2009

Ao vencer ontem o ASA de Arapiraca por 1 a 0 (também havia ganhado a primeira partida em Alagoas por 3 a 1) o América Mineiro conquistou a Série C do Campeonato Brasileiro de 2009. O Coelho volta a ganhar um título nacional após 12 anos, quando venceu a Série B, inclusive com o mesmo treinador, Givanildo Oliveira. Na campanha vitoriosa desse ano, o América disputou 14 partidas, vencendo 9, empatando 2 e perdendo 3, com 69% de aproveitamento. Com o título, o América voltará a disputar a segunda divisão do Brasileiro, a qual disputou pela última vez em 2004. Também disputarão a Série B 2010 ASA, Guaratinguetá (SP) e Icasa (CE).

América Mineiro campeão da terceira divisão 2009

Foi o décimo-segundo título nacional de um clube mineiro. O Cruzeiro lidera a lista com seis conquistas (4 Copas do Brasil, 1 Taça Brasil e 1 Campeonato Brasileiro da primeira divisão). Em seguida vêm América (1 Brasileiro da segunda divisão e 1 da terceira) e Atlético (1 Brasileiro da primeira e um da segunda divisão). Os dois títulos restantes são da segunda divisão: um do Villa Nova e um do Uberlândia.

Embora seja o maior campeão nacional de Minas Gerais, o Cruzeiro não vence um torneio desde 2003, quando conquistou a Série A do Brasileirão. Com uma campanha memorável, a equipe cinco estrelas, comandada pelo craque Alex, marcou 100 pontos em 46 partidas, no primeiro campeonato disputado no sistema de pontos corridos. Antes disso, o clube só havia conquistado o maior torneio do futebol brasileiro em 1966, quando conquistou a Taça Brasil vencendo o lendário Santos de Pelé, então pentacampeão do torneio, ganhando as duas partidas da final (6 a 2 no Mineirão e 3 a 2 no Pacaembu). Além disso, é o maior campeão da Copa do Brasil (juntamente com o Grêmio), com quatro títulos: 1993, 1996, 2000 e 2003.

Cruzeiro campeão brasileiro 2003

O Atlético Mineiro, por sua vez, foi o campeão do Primeiro Campeonato Nacional de Clubes, o que hoje seria o equivalente à Série A do Campeonato Brasileiro, em 1971. No triangular final, a equipe superou São Paulo e Botafogo. O clube alvinegro só voltou a conquistar um título nacional 35 anos depois, o título da segunda divisão do futebol nacional, a Série B do Campeonato Brasileiro de 2006, já no sistema de pontos corridos.

Atlético Mineiro campeão brasileiro segunda divisão 2006

Ainda em 1971 outro clube mineiro centenário, o Villa Nova, de Nova Lima, foi campeão do Campeonato Nacional de Clubes da Primeira Divisão, o que, na época, seria a segunda divisão, ou Série B do Campeonato Brasileiro. Na final, o Leão do Bonfim venceu o Remo, do Pará, em duas das três partidas e foi o campeão. Entretando, nas duas primeiras edições da segunda divisão, o campeão não subia para a primeira divisão no ano seguinte. Em 1972 o Villa sequer disputou a segunda divisão novamente, esta que só contou com a participação de equipes da região Nordeste do país.

Villa Nova campeão brasileiro da segunda divisão 1971

Por fim, faltou citar o Uberlândia. Entre 1980 e 1983 e em 1985, a primeira divisão do campeonato brasileiro era chamada de Taça de Ouro, e a segunda divisão de Taça de Prata. Em 1984, porém, a primeira divisão se chamou Copa Brasil e a segunda divisão de Taça CBF. Em todos esses anos, os critérios de classificação para o campeonato brasileiro das duas divisões era a posição no campeonato estadual do ano anterior. O clube do triângulo terminou na quarta colocação o Campeonato Mineiro de 1983, e juntamente com o América, o terceiro colocado, foram os representantes de Minas Gerais na Taça CBF de 1984. Naquele ano, o campeão da segunda divisão ganhava uma vaga já na terceira fase do campeonato do mesmo ano (!!!) e assim foi com o Uberlândia. Na prática, o clube poderia conquistar as duas divisões do campeonato no mesmo ano! Dentre os quatro grupos da terceira fase, o Uberlândia caiu junto com Vasco (que seria o vice-campeão), Fortaleza e Coritiba, mas ficou em terceiro lugar e foi eliminado. Entretanto, como critério estatístico, o Uberlândia ficou em 16º lugar na primeira divisão de 1984. O Uberlândia voltou a disputar a primeira divisão em 1985, mas com uma campanha fraca terminou em 33º entre 44 clubes.

Uberlândia campeão brasileiro da segunda divisão 1984