Barcelona, enfim, Campió del Món

19/12/2009

FC BarcelonaA vitória apertada de 2 a 1 sobre o Estudiantes de La Plata, deu ao FC Barcelona o único título importante que faltava em sua imensa galeria de troféus: o de campeão do mundo. O clube catalão já havia perdido o título em duas oportunidades. Campeão da Champions League pela primeira vez na temporada 1991/1992, enfrentou o campeão da Libertadores daquele mesmo 1992, o São Paulo, na decisão da então Copa Europeia/Sulamericana, ou Toyota Cup, o que todos conhecemos como Mundial Interclubes. O Barcelona abriu cedo o placar do Estádio Nacional de Tóquio com o craque búlgaro Hristo Stoichkov aos 12 minutos. Porém Raí empatou aos 27 do primeiro tempo e virou aos 33 do segundo tempo, com um belo gol de falta. Aquele time do Barcelona, além de Stoichkov tinha outros bons jogadores como o dinamarquês Michael Laudrup, o zagueiro holandês Ronald Koeman, o goleiro espanhol Zubizarreta, além do atual técnico do time, Josep Guardiola.

Em 2006 já estava em disputa a Copa de Mundo de Clubes da FIFA, contanto com os campeões dos outros continentes além de Europa e América do Sul. Essa edição foi também disputada no Japão e o Barcelona já entrou na fase semifinal, onde humilhou o América do México, campeão da CONCACAF por 4 a 0, gols de Guðjohnsen, Rafa Márquez, Ronaldinho Gaúcho e Deco. Na final, no Estádio Internacional de Yokohama, enfrentou mais uma vez um clube brasileiro, o Internacional. O Barcelona pressionou o time gaúcho durante todo o jogo, mas sem sucesso. Até que numa bola lançada aos 37 do segundo tempo, o criticado Adriano Gabiru faz o gol que dá o título para o Colorado. O Barcelona era novamente vicecampeão mundial.

Esse ano a história pareceu que iria se repetir. O torneio foi disputado pela primeira vez na cidade de Abu Dhabi, nos Emirados Árabes Unidos. Na semifinal novamente um adversário mexicano para o Barça, dessa vez o Atlante, de Cancún. O campeão da CONCACAF até abriu o placar aos 5 minutos do primeiro tempo, mas o clube catalão conseguiu a virada para 3 a 1 e mais uma chance para ser campeão mundial. Dessa vez, porém, o adversário não seria brasileiro, mas sim argentino. O Estudiantes de La Plata até tentou apelar para a superstição, entrandono Zayed Sports City de uniforme todo branco (o São Paulo e o Inter haviam vencido o Barcelona também vestidos de branco). Mesmo com a pressão do clube espanhol, o Estudiantes abriu o placar com Boselli aos 37 do primeiro tempo. O gol fez os argentinos recuarem ainda mais, mas o Barcelona não fazia o gol. O jovem Pedro, que entrou no intervalo finalmente empatou a partida aos 44 do segundo tempo, levando a decisão para a prorrogação. Um cansado Estudiantes não suportou mais a pressão do Barcelona que virou a partida aos 5 minutos do segundo tempo da prorrogação, com gol do argentino Lionel Messi, após cruzamento de Daniel Alves.

O Barcelona era campeão de tudo. Nesse ano de 2009, venceu a Tríplice Coroa: campeão espanhol, campeão da Copa do Rei (a Copa da Espanha) e campeão da UEFA Champions League (o campeonato europeu). Além disso, venceu a Supercopa Espanhola e a Supercopa da Europa. A Copa do Mundo de Clubes é o sexto título oficial do Barça no ano, algo talvez nunca atingido por nenhum clube. O atacante Pedro também conseguiu um feito inédito, sendo o primeiro jogador na história a marcar gols em seis competições diferentes no mesmo ano.

Este título foi também o quinto mundial de um clube espanhol. O Real Madrid foi campeão em 1960, 1998 e 2002 e o Atlético de Madrid campeão em 1974. O Estudiantes permanece com seu único título mundial em 1968.

Um detalhe: o Barcelona jogou a partida com seu uniforme reserva, cor “salmão”. Porém, para a cerimônia de premiação, todos os jogadores vestiram a camisa tradicional do clube, azul e grená. Algo louvável e que deveria ser repetido por todos os outros clubes campeões, que muitas vezes na hora de levantar um troféu, algo histórico, estão vestidos com camisas comemorativas ou outras quaisquer, exceto a verdadeira camisa do time.


Pôster da final da UEFA Champions League

22/11/2009

Revelado essa semana o pôster da final da atual edição da UEFA Champions League, que será realizada no Estádio Santiago Bernabeu, em Madrid.

Já é de praxe para a UEFA lançar pôsteres para a final da competição há algum tempo. Veja os logos anteriores:

Final Roma 2009 Final Moscow 2008 Final Athens 2007 Final Paris 2006 Final Istanbul 2005 Final 2004 Gelsenkirchen Final 2003 Manchester Final 2002 Glasgow Final 2001 Milan Final 2000 Paris Final 1999 Barcelona


Patrocínios no futebol europeu

16/09/2009

Real Madrid sem patrocínio

* O Real Madrid fez sua estreia na UEFA Champions League hoje, vencendo o FC Zurique por 5 a 2. O detalhe é que a equipe jogou sem o patrocinador estampado na camisa, o site de apostas bwin. Isso aconteceu porque as autoridades suíças só permitem exibir publicidade de Milan sem patrocínio apostas quando estas são realizadas por empresas públicas. Em função disso e dado que a Suíça não está sujeita à jurisdição da União Europeia, o Real Madrid e o bwin, optaram por não mostrar a marca bwin.com nas camisas de jogo durante a partida. O Milan, também patrocinado pela bwin, jogou também sem patrocínio na vitória por 2 a 1 contra o Olympique de Marselha, na casa do adversário.

Primeira camisa do Liverpool com patrocínio da Carlsberg Banco Standard Chatered

* O Liverpool anunciou que a partir da próxima temporada será patrocinado pelo banco Standard Chartered, em substituição à Carlsberg. Segundo o Máquina do Esporte, os valores giram em torno de 23 milhões de euros por cada ano dos quatro de contrato. A cervejaria Carlsberg patrocinava o Liverpool desde 1992.

* A Herbalife é a nova patrocinadora do Valencia. Mas não é o patrocínio master, que continua com o site de apostas Unibet. A empresa multinacional norte-americana patrocinará os calções do clube espanhol por 600 mil euros por ano.