Brasileiros em finais sulamericanas

02/12/2010

Pode parecer incrível, mas a presença do Goiás na final da Copa Sul-Americana de 2010 é a 64ª de um clube brasileiro em uma final de competição organizada pela Conmebol (Confederação Sulamericana de Futebol). Das outras 63 vezes que chegou à final, o Brasil foi campeão 36 vezes, sendo que 11 dessas 36 tiveram o outro finalista também brasileiro. Das finais contra clubes estrangeiros, o Brasil venceu 25 e perdeu 27 vezes.

Dentre os clubes mais vezes finalistas, Cruzeiro e São Paulo empatam com 15 finais. Palmeiras e Internacional têm 7 cada. O Flamengo tem 6 finais, enquanto Grêmio e Atlético Mineiro têm 5. O Santos tem 4 finais e o Vasco tem 3. Fluminense e Botafogo têm 2 cada. São Caetano, Atlético Paranaense, CSA de Alagoas e agora o Goiás têm 1 final.

As competições consideradas foram: Copa Libertadores (1960-2010), Copa Sulamericana (2002-2010), Supercopa Libertadores (1988-1997), Copa Mercosul (1998-2001), Recopa Sulamericana (1989-2010), Copa Conmebol (1992-1999), Copa Ouro (1993-1996), Copa Masters da Supercopa (1992-1995), Copa Masters da Conmebol (1996), Copa Interamericana (1968-1998), Copa Suruga Bank (2008-2010)

Ano Competição Clube brasileiro Clube rival Resultado
1961 Libertadores Palmeiras Peñarol (URU) Vice
1962 Libertadores Santos Peñarol (URU) Campeão
1963 Libertadores Santos Boca Juniors (ARG) Campeão
1968 Libertadores Palmeiras Estudiantes (ARG) Vice
1974 Libertadores São Paulo Independiente (ARG) Vice
1976 Libertadores Cruzeiro River Plate (ARG) Campeão
1977 Libertadores Cruzeiro Boca Juniors (ARG) Vice
1980 Libertadores Internacional Nacional (URU) Vice
1981 Libertadores Flamengo Cobreloa (CHI) Campeão
1983 Libertadores Grêmio Peñarol (URU) Campeão
1984 Libertadores Grêmio Independiente (ARG) Vice
1988 Supercopa Cruzeiro Racing (ARG) Vice
1991 Supercopa Cruzeiro River Plate (ARG) Campeão
1992 Libertadores São Paulo Newell’s Old Boys (ARG) Campeão
1992 Supercopa Cruzeiro Racing (ARG) Campeão
1992 Conmebol Atlético Mineiro Olimpia (PAR) Campeão
1992 Recopa Cruzeiro Colo-Colo (CHI) Vice
1992 Masters Supercopa Cruzeiro Boca Juniors (ARG) Vice
1993 Libertadores São Paulo Universidad Católica (CHI) Campeão
1993 Supercopa São Paulo Flamengo Campeão e vice
1993 Conmebol Botafogo Peñarol (URU) Campeão
1993 Recopa São Paulo Cruzeiro Campeão e vice
1993 Copa Ouro Atlético Mineiro Boca Juniors (ARG) Vice
1994 Libertadores São Paulo Vélez Sársfield (ARG) Vice
1994 Conmebol São Paulo Peñarol (URU) Campeão
1994 Recopa São Paulo Botafogo Campeão e vice
1995 Libertadores Grêmio Atlético Nacional (COL) Campeão
1995 Supercopa Flamengo Independiente (ARG) Vice
1995 Conmebol Atlético Mineiro Rosario Central (ARG) Vice
1995 Copa Ouro Cruzeiro São Paulo Campeão e vice
1995 Masters Supercopa Cruzeiro Olimpia (PAR) Campeão
1996 Supercopa Cruzeiro Vélez Sársfield (ARG) Vice
1996 Recopa Grêmio Independiente (ARG) Campeão
1996 Copa Ouro Flamengo São Paulo Campeão e vice
1996 Masters Conmebol São Paulo Atlético Mineiro Campeão e vice
1997 Libertadores Cruzeiro Sporting Cristal (PER) Campeão
1997 Supercopa São Paulo River Plate (ARG) Vice
1997 Conmebol Atlético Mineiro Lanús (ARG) Campeão
1998 Libertadores Vasco Barcelona (ECU) Campeão
1998 Conmebol Santos Rosario Central (ARG) Campeão
1998 Recopa Cruzeiro River Plate (ARG) Campeão
1998 Mercosul Palmeiras Cruzeiro Campeão e vice
1998 Interamericana Vasco DC United (EUA) Vice
1999 Libertadores Palmeiras Deportivo Cali (COL) Campeão
1999 Conmebol CSA Talleres (ARG) Vice
1999 Mercosul Flamengo Palmeiras Campeão e vice
2000 Libertadores Palmeiras Boca Juniors (ARG) Vice
2000 Mercosul Vasco Palmeiras Campeão e vice
2001 Mercosul Flamengo San Lorenzo (ARG) Vice
2002 Libertadores São Caetano Olimpia (PAR) Vice
2003 Libertadores Santos Boca Juniors (ARG) Vice
2005 Libertadores São Paulo Atlético Paranaense Campeão e vice
2006 Libertadores Internacional São Paulo Campeão e vice
2006 Recopa São Paulo Boca Juniors (ARG) Vice
2007 Libertadores Grêmio Boca Juniors (ARG) Vice
2007 Recopa Internacional Pachuca (MEX) Campeão
2008 Libertadores Fluminense LDU Quito (ECU) Vice
2008 Sulamericana Internacional Estudiantes (ARG) Campeão
2009 Libertadores Cruzeiro Estudiantes (ARG) Vice
2009 Sulamericana Fluminense LDU Quito (ECU) Vice
2009 Recopa Internacional LDU Quito (ECU) Vice
2009 Suruga Internacional Oita Trinita (JAP) Campeão
2010 Libertadores Internacional Guadalajara (MEX) Campeão
2010 Sulamericana Goiás Independiente (ARG)
Anúncios

Método de classificação de clubes brasileiros para a Libertadores

27/09/2010

Para a Libertadores de 2011, a Conmebol mudou o método de classificação para os clubes brasileiros na Copa Libertadores. A partir do ano que vem, como o campeão da Copa Sulamericana ganha vaga na primeira fase do torneio (conhecida como Pré-Libertadores), o clube que tem o atual campeão (no caso o Brasil, com o Internacional) perde uma das vagas nacionais. Na prática, a última vaga do Brasil, que normalmente pertence ao 4º colocado do Brasileirão, passa a ser do 3º colocado. O Brasil, que teria 6 vagas no ano que vem (o Inter, o Santos – campeão da Copa do Brasil, mais os 4 primeiros do Brasileiros), só terá 5. A única forma de o Brasil ter 6 vagas é tendo um clube campeão da Copa Sulamericana (Atlético Mineiro, Avaí, Goiás e Palmeiras ainda estão na disputa).

O critério de classificação dos clubes brasileiros para a Libertadores mudou bastante ao longo dos anos. Nas Libertadores 1960 a 1965 a vaga era do campeão da Taça Brasil do ano anterior. Em 1966 a Confederação Sulamericana também premiou os vice-campeões de cada país com uma vaga. O Brasil e a Colômbia, porém, não concordaram com essa regra e nenhum clube brasileiro disputou a competição nesse ano. Já em 1967 e 1968 participaram o campeão e o vice da Taça Brasil dos anos imediatamente anteriores.

Para as Libertadores de 1969 o Brasil não enviou representante pois a Taça Brasil de 1968 não terminaria a tempo do início do torneio sulamericano. Já na Libertadores de 1970, os clubes brasileiros alegaram que o calendário da competição poderia atrapalhar a preparação da Seleção para a Copa do Mundo de 1970, além do fato da violência dos clubes estrangeiros, que poderia lesionar alguns dos craques nacionais.

A partir da Libertadores de 1971 a classificação fica mais regular, classificando o campeão e o vice-campeão brasileiro dos anos anteriores (1971 – Robertão, 1972 a 1975 – Campeonato Nacional, 1976 a 1980, 1985 e 1988 – Copa Brasil (não confundir com a Copa do Brasil), 1981 a 1984 e 1986 – Taça de Ouro, 1989 – Copa União. Para a Libertadores de 1988, os representantes brasileiros foram Sport e Guarani, que venceram o quadrangular proposto pela CBF para definir o campeão brasileiro de 1987, uma vez que Flamengo e Internacional se recusaram a participar e perderam por W.O..

Com a criação da Copa do Brasil em 1989, o vice-campeão brasileiro perdeu importância. Das Libertadores de 1990 a 1999, os representantes brasileiros eram o campeão brasileiro e o campeão da Copa do Brasil. A Libertadores de 2000 aumentou o número de participantes e consequentemente o número de clubes brasileiros na competição também aumentou, passando de 2 para 4 vagas. Em 2000, além do campeão e do vice-campeão brasileiros, e do campeão da Copa do Brasil de 1999, também representou o Brasil o campeão da chamada Seletiva da Libertadores. Esta foi um torneio no estilo mata-mata com os clubes que iam sendo eliminados no Campeonato Brasileiro de 1999.

Para as Libertadores de 2001 a 2003, porém, extingue-se a Seletiva da Libertadores, sendo a 4ª vaga brasileira ocupada pelo campeão da Copa dos Campeões, que foi um torneio que reunia os campeões das copas regionais (Rio-São Paulo, Centro-Oeste, Sul-Minas, Nordestão e Copa Norte). Nas Libertadores de 2004 a 2010 o Brasil passa a ter direito a 5 vagas, sendo os quatro primeiros colocados do Campeonato Brasileiro (desde 2003 disputado por pontos corridos) e o campeão da Copa do Brasil. Nos anos em que o campeão da Libertadores e/ou o campeão da Copa do Brasil termina entre os 4 primeiros do Brasileirão, o clube posicionado imediatamente abaixo ganha a vaga.

Ano

Mérito

Clube

Partic.

1960

Campeão da Taça Brasil 1959

Bahia

1

1961

Campeão da Taça Brasil 1960

Palmeiras

1

1962

Campeão da Taça Brasil 1961

Santos

1

1963

Campeão da Taça Brasil 1962

Santos

2

Campeão da Libertadores 1962

* Vice-campeão da Taça Brasil 1962

Botafogo

1

1964

Campeão da Taça Brasil 1963

Santos

3

Campeão da Libertadores 1963

* Vice-campeão da Taça Brasil 1963

Bahia

2

1965

Campeão da Taça Brasil 1964

Santos

4

1966

Sem representante brasileiro. Seriam:

Campeão da Taça Brasil 1965

Santos

X

Vice-campeão da Taça Brasil 1965

Vasco

X

1967

Campeão da Taça Brasil 1966

Cruzeiro

1

Vice-campeão da Taça Brasil 1966

Santos

5

1968

Campeão da Taça Brasil 1967

Palmeiras

2

Vice-campeão da Taça Brasil 1967

Náutico

1

1969

Sem representante brasileiro. Seriam:

Campeão do Torneio R. G. Pedrosa 1968

Santos

X

Vice-campeão do Torneio R. G. Pedrosa 1968

Internacional

X

1970

Sem representante brasileiro. Seriam:

Campeão do Torneio R. G. Pedrosa 1969

Palmeiras

X

Vice-campeão do Torneio R. G. Pedrosa 1969

Cruzeiro

X

1971

Campeão do Torneio R. G. Pedrosa 1970

Fluminense

1

Vice-campeão do Torneio R. G. Pedrosa 1970

Palmeiras

3

1972

Campeão do Campeonato Nacional 1971

Atlético MG

1

Vice-campeão do Campeonato Nacional 1971

São Paulo

1

1973

Campeão do Campeonato Nacional 1972

Palmeiras

4

Vice-campeão do Campeonato Nacional 1972

Botafogo

2

1974

Campeão do Campeonato Nacional 1973

Palmeiras

5

Vice-campeão do Campeonato Nacional 1973

São Paulo

2

1975

Campeão do Campeonato Nacional 1974

Vasco

1

Vice-campeão do Campeonato Nacional 1974

Cruzeiro

2

1976

Campeão da Copa Brasil 1975

Internacional

1

Vice-campeão da Copa Brasil 1975

Cruzeiro

3

1977

Campeão da Libertadores 1976

Cruzeiro

4

Campeão da Copa Brasil 1976

Internacional

2

Vice-campeão da Copa Brasil 1976

Corinthians

1

1978

Campeão da Copa Brasil 1977

São Paulo

3

Vice-campeão da Copa Brasil 1977

Atlético MG

2

1979

Campeão da Copa Brasil 1978

Guarani

1

Vice-campeão da Copa Brasil 1978

Palmeiras

6

1980

Campeão da Copa Brasil 1979

Internacional

3

Vice-campeão da Copa Brasil 1979

Vasco

2

1981

Campeão da Taça de Ouro 1980

Flamengo

1

Vice-campeão da Taça de Ouro 1980

Atlético MG

3

1982

Campeão da Libertadores 1981

Flamengo

2

Campeão da Taça de Ouro 1981

Grêmio

1

Vice-campeão da Taça de Ouro 1981

São Paulo

4

1983

Campeão da Taça de Ouro 1982

Flamengo

3

Vice-campeão da Taça de Ouro 1982

Grêmio

2

1984

Campeão da Libertadores 1983

Grêmio

3

Campeão da Taça de Ouro 1983

Flamengo

4

Vice-campeão da Taça de Ouro 1983

Santos

6

1985

Campeão da Copa Brasil 1984

Fluminense

2

Vice-campeão da Copa Brasil 1984

Vasco

3

1986

Campeão da Taça de Ouro 1985

Coritiba

1

Vice-campeão da Taça de Ouro 1985

Bangu

1

1987

Campeão da Copa Brasil 1986

São Paulo

5

Vice-campeão da Copa Brasil 1986

Guarani

2

1988

Campeão da Copa Brasil 1987

Sport

1

Vice-campeão da Copa Brasil 1987

Guarani

3

1989

Campeão da Copa União 1988

Bahia

3

Vice-campeão da Copa União 1988

Internacional

4

1990

Campeão do Campeonato Brasileiro 1989

Vasco

4

Campeão da Copa do Brasil 1989

Grêmio

4

1991

Campeão do Campeonato Brasileiro 1990

Corinthians

2

Campeão da Copa do Brasil 1990

Flamengo

5

1992

Campeão do Campeonato Brasileiro 1991

São Paulo

6

Campeão da Copa do Brasil 1991

Criciúma

1

1993

Campeão da Libertadores 1992

São Paulo

7

Campeão do Campeonato Brasileiro 1992

Flamengo

6

Campeão da Copa do Brasil 1992

Internacional

5

1994

Campeão da Libertadores 1993

São Paulo

8

Campeão do Campeonato Brasileiro 1993

Palmeiras

7

Campeão da Copa do Brasil 1993

Cruzeiro

5

1995

Campeão do Campeonato Brasileiro 1994

Palmeiras

8

Campeão da Copa do Brasil 1994

Grêmio

5

1996

Campeão da Libertadores 1995

Grêmio

6

Campeão do Campeonato Brasileiro 1995

Botafogo

3

Campeão da Copa do Brasil 1995

Corinthians

3

1997

Campeão do Campeonato Brasileiro 1996

Grêmio

7

Campeão da Copa do Brasil 1996

Cruzeiro

6

1998

Campeão da Libertadores 1997

Cruzeiro

7

Campeão do Campeonato Brasileiro 1997

Vasco

5

Campeão da Copa do Brasil 1997

Grêmio

8

1999

Campeão da Libertadores 1998

Vasco

6

Campeão do Campeonato Brasileiro 1998

Corinthians

4

Campeão da Copa do Brasil 1998

Palmeiras

9

2000

Campeão da Libertadores 1999

Palmeiras

10

Campeão do Campeonato Brasileiro 1999

Corinthians

5

Vice-campeão do Campeonato Brasileiro 1999

Atlético MG

4

Campeão da Copa do Brasil 1999

Juventude

1

Campeão da Seletiva da Libertadores 1999

Atlético PR

1

2001

Campeão da Copa João Havelange 2000

Vasco

7

Vice-campeão da Copa João Havelange 2000

São Caetano

1

Campeão da Copa do Brasil 2000

Cruzeiro

8

Campeão da Copa dos Campeões 2000

Palmeiras

11

2002

Campeão do Campeonato Brasileiro 2001

Atlético PR

2

Vice-campeão do Campeonato Brasileiro 2001

São Caetano

2

Campeão da Copa do Brasil 2001

Grêmio

9

Campeão da Copa dos Campeões 2001

Flamengo

7

2003

Campeão do Campeonato Brasileiro 2002

Santos

7

Vice-campeão do Campeonato Brasileiro 2002

Corinthians

6

Campeão da Copa do Brasil 2002

* 3º colocado do Campeonato Brasileiro 2002

Grêmio

10

Campeão da Copa dos Campeões 2002

Paysandu

1

2004

Campeão do Campeonato Brasileiro 2003

Cruzeiro

9

Campeão da Copa do Brasil 2003

Vice-campeão do Campeonato Brasileiro 2003

Santos

8

3º colocado do Campeonato Brasileiro 2003

São Paulo

9

4º colocado do Campeonato Brasileiro 2003

São Caetano

3

* 5º colocado do Campeonato Brasileiro 2003

Coritiba

2

2005

Campeão do Campeonato Brasileiro 2004

Santos

9

Vice-campeão do Campeonato Brasileiro 2004

Atlético PR

3

3º colocado do Campeonato Brasileiro 2004

São Paulo

10

4º colocado do Campeonato Brasileiro 2004

Palmeiras

12

Campeão da Copa do Brasil 2004

Santo André

1

2006

Campeão da Libertadores 2005

São Paulo

11

Campeão do Campeonato Brasileiro 2005

Corinthians

7

Vice-campeão do Campeonato Brasileiro 2005

Internacional

6

3º colocado do Campeonato Brasileiro 2005

Goiás

1

4º colocado do Campeonato Brasileiro 2005

Palmeiras

13

Campeão da Copa do Brasil 2005

Paulista

1

2007

Campeão da Libertadores 2006

Internacional

7

Vice-campeão do Campeonato Brasileiro 2006

Campeão do Campeonato Brasileiro 2006

São Paulo

12

3º colocado do Campeonato Brasileiro 2006

Grêmio

11

4º colocado do Campeonato Brasileiro 2006

Santos

10

* 5º colocado do Campeonato Brasileiro 2006

Paraná

1

Campeão da Copa do Brasil 2006

Flamengo

8

2008

Campeão do Campeonato Brasileiro 2007

São Paulo

13

Vice-campeão do Campeonato Brasileiro 2007

Santos

11

3º colocado do Campeonato Brasileiro 2007

Flamengo

9

4º colocado do Campeonato Brasileiro 2007

Fluminense

3

Campeão da Copa do Brasil 2007

* 5º colocado do Campeonato Brasileiro 2007

Cruzeiro

10

2009

Campeão do Campeonato Brasileiro 2008

São Paulo

14

Vice-campeão do Campeonato Brasileiro 2008

Grêmio

12

3º colocado do Campeonato Brasileiro 2008

Cruzeiro

11

4º colocado do Campeonato Brasileiro 2008

Palmeiras

14

Campeão da Copa do Brasil 2008

Sport

2

2010

Campeão do Campeonato Brasileiro 2009

Flamengo

10

Vice-campeão do Campeonato Brasileiro 2009

Internacional

8

3º colocado do Campeonato Brasileiro 2009

São Paulo

15

4º colocado do Campeonato Brasileiro 2009

Cruzeiro

12

Campeão da Copa do Brasil 2009

Corinthians

8

2011

Campeão da Libertadores 2010

Internacional

9

Campeão do Campeonato Brasileiro 2010

Vice-campeão do Campeonato Brasileiro 2010

3º colocado do Campeonato Brasileiro 2010


colocado do Campeonato Brasileiro 2010

Campeão da Copa do Brasil 2010

Santos

12


Brasileiros na Pré-Libertadores

26/01/2010

Começa hoje a 51ª edição da Copa Libertadores da América, a maior competição interclubes do continente sulamericano. As partidas de hoje, entre Deportivo Táchira (VEN) x Libertad (PAR) e Colón (ARG) x Universidad Católica (CHI), são válidas pela Primeira Fase da Libertadores, um estágio preliminar que indicará mais seis clubes para a Segunda Fase do torneio, que é a tradicional fase de grupos.

Palmeiras A primeira edição em que ocorreu essa disputa mata-mata para indicar clubes para a fase de grupos foi em 2005. Nesta edição, o Palmeiras, quarto colocado no Campeonato Brasileiro de 2004, teve de enfrentar o Tacuary, do Paraguai. Empate no primeiro jogo por 2 a 2, e vitória palmeirense em casa por 2 a 0. Com a classificação, o Palmeiras caiu no grupo 4, onde estava o também brasileiro Santo André, campeão da Copa do Brasil do ano anterior. O Palmeiras, porém, foi desclassificado pelo futuro campeão São Paulo nas oitavas de final. O Guadalajara, do México, também classificado através da fase preliminar, chegou até as semifinais da competição, sendo eliminado pelo Atlético Paranaense.

GoiásEm 2006, com o São Paulo sendo o atual campeão, o Brasil ganhou mais uma vaga na Libertadores (seis). Assim, dois brasileiros tiveram de disputar a fase preliminar. O Goiás, terceiro colocado do Brasileirão, enfrentou o Deportivo Cuenca, do Equador. Empatou fora de casa por 1 a 1, mas venceu no Serra Dourada por 3 a 0. O Palmeiras, quarto colocado do Brasileiro, participou pela segunda vez consecutiva da fase preliminar, enfrentando dessa vez o Deportivo Táchira. Venceu os dois jogos, no Palestra Itália por 2 a 0 e na Venezuela por 4 a 2. Os dois alviverdes avançaram somente até as oitavas de final, quando o Goiás foi eliminado pelo Estudiantes de La Plata, da Argentina, e o Palmeiras, de novo, pelo São Paulo. O Guadalajara, que novamente também veio da fase preliminar, novamente foi eliminado nas semifinais e novamente pelo brasileiro que seria o vice-campeão do torneio, agora o São Paulo.

SantosParanáEm 2007, com o Internacional defendendo o título, o Brasil teve de novo seis participantes na Libertadores, com dois deles participando da fase preliminar. O Santos, quarto colocado no Brasileiro 2006, enfrentou o Blooming, da Bolívia, e venceu os dois jogos: 1 a 0 fora de casa e 5 a 0 na Vila Belmiro. O Paraná, quinto colocado no Brasileiro 2006, também se saiu bem contra o Cobreloa, do Chile. Venceu por 2 a 0 fora de casa e empatou por 1 a 1 em Curitiba. O Santos conseguiu chegar até as semifinais, quando foi eliminado pelo Grêmio. Já o Paraná parou nas oitavas de final, contra o Libertad, do Paraguai.

CruzeiroEm 2008, a fase preliminar da Libertadores passou a se chamar Primeira Fase, e a fase de grupos Segunda Fase. Mas o sistema continuou o mesmo, e o Cruzeiro, quinto colocado no Brasileirão 2007, teve de enfrentar o Cerro Porteño, do Paraguai. Se saiu bem, com duas vitórias: 3 a 1 no Mineirão e 3 a 2 no Defensores del Chaco. O Cruzeiro chegaria até as oitavas de final, quando foi eliminado pelo Boca Juniors. O que foi mais longe dos times que saíram da fase preliminar foi o Atlas, do México, que foi eliminado nas quartas de final, também pelo Boca.

Real PotosíEm 2009, pela terceira vez o Palmeiras teve de disputar a fase preliminar da competição, agora como quarto colocado no Brasileiro de 2008. O adversário da vez foi o Real Potosí, da Bolívia. O Verdão venceu em casa por 5 a 1 e nem a altitude de 4000 metros foi capaz de impedir uma nova vitória dos brasileiros, por 2 a 0. O Palmeiras chegou até as quartas de final, quando foi eliminado pelo Nacional, do Uruguai. E em 2009, pela primeira vez, um clube que saiu da fase preliminar conseguiu se sagrar campeão. Foi o Estudiantes de La Plata, da Argentina, que venceu o Cruzeiro na final.

Em 2010, o Cruzeiro enfrentará a fase preliminar pela segunda vez, como quarto colocado no Brasileiro do ano passado. E o Real Potosí é novamente adversário de um clube brasileiro, como no ano passado. Dessa vez, porém, o primeiro jogo é na Bolívia e o segundo no Brasil.


Cruzeiro 89 anos

02/01/2010

Há exatos 89 anos, em 2 de janeiro de 1921, uma reunião num prédio na Rua dos Caetés, no centro de Belo Horizonte, com cerca de cem desportistas de origem italiana fundava a Societá Sportiva Palestra Itália. Era o início daquele que se tornaria um dos nove principais clubes de futebol do Brasil, reconhecido internacionalmente, o Cruzeiro Esporte Clube. A ideia havia surgido em 1916, quando foi formado um combinado de jogadores de origem italiana em Belo Horizonte para a disputa de amistosos. Muitos dos jogadores eram vinculados ao Yale Athletic Club, o primeiro clube com jogadores ítalo-brasileiros na capital mineira. Daí a confusão ao dizer que o Yale deu origem ao Palestra. 13 jogadores saídos do Yale formaram o primeiro plantel do Palestra em 1921, que também contou com jogadores vindos do Atlético, Guarany e Ipanema. Os jogadores do Palestra eram em sua maioria também operários, moradores das regiões externas à Avenida do Contorno, na época o subúrbio da cidade. O primeiro estatuto do clube foi solicitado por correio ao Palestra de São Paulo, atual Palmeiras, e aprovado por unanimidade, excluindo-se apenas o item que exigia participação exclusiva do pessoas com origem italiana, o que fez o Palestra mineiro aumentar sua popularidade rapidamente.

A primeira partida do clube aconteceu em 3 de abril de 1921, contra um combinado entre o Villa Nova e o Palmeiras, ambos de Nova Lima. A partida no estádio do Prado Mineiro (atual sede do Batalhão da Polícia Militar de MG, no bairro Prado) terminou 2 a 0 para os palestrinos. Duas semanas depois, em 17 de abril, o primeiro clássico contra o Atlético. Nova vitória do Palestra, dessa vez por 3 a 0, também no estádio do Prado. O primeiro título veio em 1927, mas era referente ao Campeonato da Cidade de 1926, após a vitória de 10 a 1 sobre o Grêmio, de Belo Horizonte.

Em agosto de 1942 um decreto federal exigiu a extinção de todos aqueles itens que faziam referência aos países inimigos do Brasil na Segunda Guerra Mundial, entre eles a Itália. Dessa forma, em 2 de outubro, foi anunciado que o Palestra mineiro passaria a se chamar Ypiranga, em homenagem à independência do Brasil. Em 4 de outubro o clube disputou uma partida contra o Atlético, perdendo por 2 a 1, mas com o nome oficial ainda Palestra Itália. Na assembleia do dia 7 de outubro, foi sugerido o nome de Cruzeiro Esporte Clube e a adoção das cores azul e branco.

O Cruzeiro crescia rapidamente e aos poucos deixava de ser a terceira força do futebol mineiro para se tornar a primeira. A década de 1960 foi um marco na história do Cruzeiro e representou uma época de grandes feitos e conquistas de um time, que recebeu o nome de academia. A equipe de  Raul, Zé Carlos, Piazza, Natal, Tostão entre outros, conquistou o Brasil com duas vitórias sobre o Santos. Na decisão, duas vitórias memoráveis sobre o time de Pelé – 6 x 2, em 30 de novembro, no Mineirão, e 3 x 2, no dia 7 de dezembro, no Pacaembu.

Já na década de 1970, a segunda academia do Cruzeiro ficou marcada pelo título da Copa Libertadores. O adversário da final foi o River Plate, da Argentina. No primeiro confronto, em 21 de julho, o Cruzeiro aplicou 4 x 1, em Belo Horizonte. No segundo, no dia 28 do mesmo mês, perdeu de 2 x 1, em Buenos Aires. Mas dois dias depois, no tira-teima decisivo, em Santiago, no Chile, a equipe estrelada ganhou por 3 x 2 e levantou o troféu da competição.

Após um período difícil na década de 1980, sem grandes conquistas, a torcida azul voltou a sorrir em 1991, quando time celeste venceu a Supercopa, novamente levando a melhor sobre o River Plate. No ano seguinte, o torneio ficou mais uma vez nas mãos cruzeirenses, batendo outro clube argentino, o Racing.

Em 1997, veio o bicampeonato da Copa Libertadores. Na partida de ida da decisão, houve empate sem gols com o Spoting Cristal, do Peru, em 6 de agosto. Dali sete dias, no Mineirão, o Cruzeiro bateu o adversário por 1 x 0, dando início a mais uma belíssima festa da china azul.

O time estrelado tornou-se o maior vencedor da Copa do Brasil. Ao lado do Grêmio, detêm quatro conquistas da competição, vencendo as edições de 1993, 1996, 2000 e 2003. Neste último ano, inclusive, a equipe mineira conseguiu ainda os campeonatos Mineiro e Brasileiro, ganhando a denominação de campeão da Tríplice Coroa.

Para 2010, o Cruzeiro buscará o tricampeonato da Copa Santander Libertadores, um feito que quase conseguiu no ano passado. Para isso, o Clube aposta na manutenção da base e no terceiro ano seguido do técnico Adilson Batista à frente do bicampeão Mineiro.

Cruzeiro

Fontes: site oficial do Cruzeiro e Almanaque do Cruzeiro


Mascotes do Ziraldo

13/10/2009

A Copa União de 1987 foi o campeonato brasileiro daquele ano, organizado pelo Clube dos 13, ao invés da CBF. Dessa forma, novos projetos tentavam ser colocados em prática, principalmente envolvendo ações de marketing. Entre essas ações, foi contratado o cartunista Ziraldo para redesenhar os mascotes dos clubes daquela competição, a fim de vender produtos, entre outras coisas.

mascotes_ziraldo_FLA mascotes_ziraldo_FLU mascotes_ziraldo_VAS mascotes_ziraldo_BOT

 

 

 

 

 

 

 

Os mascotes foram popularizados principalmente nos álbuns do Campeonato Brasileiro entre o final da década de 1980 e início da década de 1990. Por algum motivo, não se se não foi desenhado, nunca vi o mascote do Palmeiras.

mascotes_ziraldo_SPA mascotes_ziraldo_COR mascotes_ziraldo_SAN mascotes_ziraldo_GOI

mascotes_ziraldo_CRU mascotes_ziraldo_ATM mascotes_ziraldo_GRE mascotes_ziraldo_INT

mascotes_ziraldo_CTB mascotes_ziraldo_SCR mascotes_ziraldo_BAH

 

 

 

 

 

 

 

Mais de 20 anos depois, Ziraldo voltou a desenhar mascotes para clubes de futebol brasileiros. O Corinthians encomendou um novo desenho, mais moderno, para o Mosqueteiro, que deixou de ser gordo e se tornou mais, digamos, esbelto. Como parte de ações de marketing também foram criados o Mosquetinho (para o público infantil) e a Mosqueteira (para o feminino).

mascotes_ziraldo_COR2 mascotes_ziraldo_COR3

 

 

 

 

 

 

 E o Vitória, que não teve seu mascote desenhado em 1987, encomendou ao desenhista uma versão para o Leão, na comemoração dos 110 anos do clube, agora em 2009. Ziraldo fez duas versões para o clube baiano.

mascotes_ziraldo_VIT1 mascotes_ziraldo_VIT2