Brasileiros em finais sulamericanas

02/12/2010

Pode parecer incrível, mas a presença do Goiás na final da Copa Sul-Americana de 2010 é a 64ª de um clube brasileiro em uma final de competição organizada pela Conmebol (Confederação Sulamericana de Futebol). Das outras 63 vezes que chegou à final, o Brasil foi campeão 36 vezes, sendo que 11 dessas 36 tiveram o outro finalista também brasileiro. Das finais contra clubes estrangeiros, o Brasil venceu 25 e perdeu 27 vezes.

Dentre os clubes mais vezes finalistas, Cruzeiro e São Paulo empatam com 15 finais. Palmeiras e Internacional têm 7 cada. O Flamengo tem 6 finais, enquanto Grêmio e Atlético Mineiro têm 5. O Santos tem 4 finais e o Vasco tem 3. Fluminense e Botafogo têm 2 cada. São Caetano, Atlético Paranaense, CSA de Alagoas e agora o Goiás têm 1 final.

As competições consideradas foram: Copa Libertadores (1960-2010), Copa Sulamericana (2002-2010), Supercopa Libertadores (1988-1997), Copa Mercosul (1998-2001), Recopa Sulamericana (1989-2010), Copa Conmebol (1992-1999), Copa Ouro (1993-1996), Copa Masters da Supercopa (1992-1995), Copa Masters da Conmebol (1996), Copa Interamericana (1968-1998), Copa Suruga Bank (2008-2010)

Ano Competição Clube brasileiro Clube rival Resultado
1961 Libertadores Palmeiras Peñarol (URU) Vice
1962 Libertadores Santos Peñarol (URU) Campeão
1963 Libertadores Santos Boca Juniors (ARG) Campeão
1968 Libertadores Palmeiras Estudiantes (ARG) Vice
1974 Libertadores São Paulo Independiente (ARG) Vice
1976 Libertadores Cruzeiro River Plate (ARG) Campeão
1977 Libertadores Cruzeiro Boca Juniors (ARG) Vice
1980 Libertadores Internacional Nacional (URU) Vice
1981 Libertadores Flamengo Cobreloa (CHI) Campeão
1983 Libertadores Grêmio Peñarol (URU) Campeão
1984 Libertadores Grêmio Independiente (ARG) Vice
1988 Supercopa Cruzeiro Racing (ARG) Vice
1991 Supercopa Cruzeiro River Plate (ARG) Campeão
1992 Libertadores São Paulo Newell’s Old Boys (ARG) Campeão
1992 Supercopa Cruzeiro Racing (ARG) Campeão
1992 Conmebol Atlético Mineiro Olimpia (PAR) Campeão
1992 Recopa Cruzeiro Colo-Colo (CHI) Vice
1992 Masters Supercopa Cruzeiro Boca Juniors (ARG) Vice
1993 Libertadores São Paulo Universidad Católica (CHI) Campeão
1993 Supercopa São Paulo Flamengo Campeão e vice
1993 Conmebol Botafogo Peñarol (URU) Campeão
1993 Recopa São Paulo Cruzeiro Campeão e vice
1993 Copa Ouro Atlético Mineiro Boca Juniors (ARG) Vice
1994 Libertadores São Paulo Vélez Sársfield (ARG) Vice
1994 Conmebol São Paulo Peñarol (URU) Campeão
1994 Recopa São Paulo Botafogo Campeão e vice
1995 Libertadores Grêmio Atlético Nacional (COL) Campeão
1995 Supercopa Flamengo Independiente (ARG) Vice
1995 Conmebol Atlético Mineiro Rosario Central (ARG) Vice
1995 Copa Ouro Cruzeiro São Paulo Campeão e vice
1995 Masters Supercopa Cruzeiro Olimpia (PAR) Campeão
1996 Supercopa Cruzeiro Vélez Sársfield (ARG) Vice
1996 Recopa Grêmio Independiente (ARG) Campeão
1996 Copa Ouro Flamengo São Paulo Campeão e vice
1996 Masters Conmebol São Paulo Atlético Mineiro Campeão e vice
1997 Libertadores Cruzeiro Sporting Cristal (PER) Campeão
1997 Supercopa São Paulo River Plate (ARG) Vice
1997 Conmebol Atlético Mineiro Lanús (ARG) Campeão
1998 Libertadores Vasco Barcelona (ECU) Campeão
1998 Conmebol Santos Rosario Central (ARG) Campeão
1998 Recopa Cruzeiro River Plate (ARG) Campeão
1998 Mercosul Palmeiras Cruzeiro Campeão e vice
1998 Interamericana Vasco DC United (EUA) Vice
1999 Libertadores Palmeiras Deportivo Cali (COL) Campeão
1999 Conmebol CSA Talleres (ARG) Vice
1999 Mercosul Flamengo Palmeiras Campeão e vice
2000 Libertadores Palmeiras Boca Juniors (ARG) Vice
2000 Mercosul Vasco Palmeiras Campeão e vice
2001 Mercosul Flamengo San Lorenzo (ARG) Vice
2002 Libertadores São Caetano Olimpia (PAR) Vice
2003 Libertadores Santos Boca Juniors (ARG) Vice
2005 Libertadores São Paulo Atlético Paranaense Campeão e vice
2006 Libertadores Internacional São Paulo Campeão e vice
2006 Recopa São Paulo Boca Juniors (ARG) Vice
2007 Libertadores Grêmio Boca Juniors (ARG) Vice
2007 Recopa Internacional Pachuca (MEX) Campeão
2008 Libertadores Fluminense LDU Quito (ECU) Vice
2008 Sulamericana Internacional Estudiantes (ARG) Campeão
2009 Libertadores Cruzeiro Estudiantes (ARG) Vice
2009 Sulamericana Fluminense LDU Quito (ECU) Vice
2009 Recopa Internacional LDU Quito (ECU) Vice
2009 Suruga Internacional Oita Trinita (JAP) Campeão
2010 Libertadores Internacional Guadalajara (MEX) Campeão
2010 Sulamericana Goiás Independiente (ARG)

Estádio da semana: Fonte Nova

31/08/2010

Fonte Nova recentemente

Ontem, dia 29 de agosto, foi um dia marcante para o futebol brasileiro, mas especialmente para o futebol baiano. Foi demolido um dos maiores e mais importantes estádios do país: o estádio Octávio Mangabeira, comumente conhecido como Fonte Nova, em Salvador. Pertencente ao Governo do estado da Bahia, o estádio foi demolido para sediar a construção de uma arena totalmente nova, que abrigará partidas da Copa do Mundo de 2014.

O estádio da Fonte Nova foi inaugurado em 28 de janeiro de 1951, com uma partida entre o Botafogo de Salvador (sem futebol profissional desde 1990) e o Guarany, também de Salvador (extinto). O Botafogo venceu por 1 a 0, gol de Antônio. O nome do estádio foi uma homenagem ao então governador do estado da Bahia, Otávio Mangabeira, cujo mandato de quatro anos terminou apenas 3 dias depois da inauguração do estádio.

Fonte Nova à época de sua inauguração

O recorde de público do estádio foi na semifinal do Campeonato Brasileiro de 1988, quando 110 mil pessoas assistiram a partida em que o Bahia venceu o Fluminense por 2 a 1, classificando-se para a final do torneio. O Bahia acabou sagrando-se campeão brasileiro naquele ano.

A Fonte Nova sediou partidas de duas finais de Campeonato Brasileiro, embora nenhuma delas tenha sido o jogo decisivo. Ainda em 1988, o Bahia venceu a primeira partida contra o Internacional por 2 a 1, e depois empatou em Porto Alegre por 0 a 0, garantindo o título. Já em 1993, o Vitória perdeu a primeira partida da decisão na Fonte Nova por 1 a 0 para o Palmeiras, além de perder também o segundo jogo, em São Paulo, por 2 a 0.

Fonte Nova na década de 1980

A Fonte Nova também sediou a segunda partida das finais da Taça Brasil de 1959, quando o Santos, de Pelé, venceu o Bahia por 2 a 0. No primeiro jogo, na Vila Belmiro, o Bahia havia vencido os donos da casa por 3 a 2. Na terceira e derradeira partida, no Maracanã, no Rio de Janeiro, o tricolor baiano voltou a vencer, dessa vez por 3 a 1, sagrando-se o primeiro campeão nacional do futebol brasileiro, sendo o primeiro representante do país na Taça Libertadores da América em sua primeira edição, em 1960.

Pela principal competição do continente, na edição de 1960, ocorreu na Fonte Nova a partida entre Bahia e San Lorenzo, da Argentina, com vitória dos brasileiros por 3 a 2. Mas o Bahia foi eliminado pois na primeira partida, em Buenos Aires, havia perdido por 3 a 0. Já pela Libertadores de 1989, a Fonte Nova sediou mais 5 jogos do Bahia, sendo 4 vitórias e 1 empate. O tricolor foi eliminado pelo Internacional nas quartas de final.

Projeto de recontrução da Fonte Nova

O estádio estava fechado desde 26 de novembro de 2007, quando aos 43 minutos do segundo tempo da partida entre Bahia e Vila Nova de Goiás, válida pela terceira divisão do Campeonato Brasileiro, uma parte da arquibancada cedeu, matando na hora sete torcedores. Nessa mesma partida, o Bahia conseguiu o acesso para retornar à segunda divisão do Campeonato Brasileiro.